Destaque Entrevistas

5G deverá aproximar consumidores e empresas

A revista impressa traz na edição de julho Três perguntas para Gabriel Dias, head de IoT da Semantix. Agora no online, você pode ler a íntegra do texto que teve seu início à página 22.

A Semantix atua em Big Data e Data Science com oferta para organizações de todos os setores da indústria no desafio de transformação para o modelo data driven. Tem como missão ajudar na tomada de decisões que elevem os níveis de crescimento, rentabilidade e satisfação do cliente.
Fundada em 2010 no Brasil e hoje presente na América Latina, a empresa fornece produtos e soluções com plataformas completas de Big Data e Inteligência Artificial.
O head de IoT da Semantix, Gabriel Dias fala sobre 5G e suas aplicações no varejo. Acompanhe.

Qual será o impacto do 5G no mercado?
O conceito de 4G mal se firmou no Brasil e as empresas, profissionais e consumidores já precisam se preparar para a chegada da quinta geração da Internet. O debate sobre a implementação desta tecnologia aumenta na mesma proporção em que países mais consolidados começam a realizar os primeiros testes em escala comercial. A expectativa é que o 5G possa, finalmente, concretizar conceitos como Internet das Coisas e Inteligência Artificial, promovendo uma verdadeira transformação na forma como as pessoas e organizações se relacionam na sociedade.

A expressão 5G remete à tecnologia correspondente à quinta geração de conexão móvel, seguindo a evolução desde o surgimento da Internet comercial nos anos 1990. As primeiras menções começaram ainda no início dos anos 2000, mas foi apenas em 2017 que o 3GPP, órgão internacional responsável pela padronização da Internet móvel, definiu o primeiro padrão técnico, determinando que as redes devem operar em bandas de baixa frequência entre 600 e 700 MHz, ou médio alcance em 3,5 GHz e até em alta frequência em 50 GHz.

Haverá relação com o mundo dos dados?
O surgimento da tecnologia 5G e a expansão de projetos de Internet das Coisas possibilitam a criação de ambientes digitais capazes de representar, cada vez melhor, o mundo físico por meio de dados e modelos matemáticos. Como as informações sobre preferências e hábitos de consumo estarão consolidados em plataformas digitais, podemos inferir que o uso de algoritmos fará com que a análise desses dados seja feita de forma eficiente.

Que aplicações o varejo pode esperar com o advento do 5G?
É possível imaginar no futuro uma relação bem mais próxima entre consumidores e empresas, permitindo o engajamento não apenas pelas preferências de consumo, mas também por conta de seus interesses pessoais, valores morais, éticos, religiosos e políticos. Essa proximidade cria uma relação de comprometimento similar à relação de fãs com clubes de futebol, que acompanham novidades e participam ativamente na construção e evolução das marcas.

Atualmente, as aplicações de Internet das Coisas no varejo estão voltadas exclusivamente para o mapeamento das interações dos clientes com o estabelecimento físico – o que pode ser feito com a análise de expressões faciais e movimentações de mercadorias e clientes. A quinta geração da conexão móvel vai expandir esse potencial para as comunicações de dispositivos ubíquos, ou seja, aqueles que podem ser espalhados e utilizados de forma transparente para ações e interações humanas. Já imaginou um espelho que coleta suas medidas e oferece roupas adequadas para seu estilo? Pois é, uma vez inseridos em um estabelecimento, essas soluções poderão coletar e transmitir mais dados e processarão uma quantidade ainda maior de informações graças à conectividade com plataformas em nuvem.

Evidentemente, a adoção dessas tecnologias precisa ser feita de forma transparente e que permita que essa relação entre consumidores e empresas seja benéfica para ambas as partes. Cabe à organização iniciar esse processo de digitalização, ou seja, ter o desejo de se comunicar com uma pessoa de forma uniforme e avisá-la de que todas as interações são mapeadas. Campanhas educativas para informar e tirar dúvidas serão essenciais neste primeiro momento para esclarecer todos os pontos. Além disso, é essencial ter responsabilidade com os dados compartilhados pelos usuários – algo já previsto na LGPD, inclusive.

Quando estarão disponíveis?
Apesar de todas as mudanças que o 5G promete trazer, é necessário ter calma neste momento. Ainda que exista uma grande expectativa em relação a esta tecnologia, ela está longe de ser realidade no Brasil. O padrão de implementação ainda não foi estabelecido, o que deve acontecer em 2020. Neste ano, uma versão inicial do padrão deve ser proposta para testes em larga escala, mas os planos comerciais devem chegar apenas 2021. Mesmo assim, quanto antes estarmos preparados para esse cenário, mais rápido iremos nos adaptar às transformações que devem acontecer em nosso dia a dia.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório

Agenda & Eventos