Destaque Tecnologia

Siemens apresenta solução tecnológica para o ciclo de geração de energia

A fabricante e a Petrobras realizam estudo inédito para implementação de CO2 supercrítico em ciclo fechado para geração de energia elétrica sem aumento de emissões, que poderá ser uma mudança de paradigma nesta atividade no mundo

empresa de energia.Objetivo é validar os benefícios dessa solução para aproveitar o rejeito térmico de uma turbina a gás instalada em uma usina termoelétrica da Petrobras.

A inovação sempre foi um dos pilares fundamentais da Siemens, que desde março desenvolve um estudo pioneiro em parceria com a Petrobras visando mudar a forma com que se gera energia elétrica. O estudo, que levará aproximadamente oito meses para ser concluído busca economia, redução de espaço físico, segurança, baixa manutenção e menor impacto ao ambiente.

A Siemens está trazendo para o mercado, uma solução tecnológica compacta e econômica para o fechamento de ciclo na geração de energia 

Atualmente, a maioria dos ciclos combinados de aproveitamento de rejeito térmico de turbinas a gás utiliza turbina a vapor. Esta nova tecnologia, que é uma solução de recuperação de calor residual desenvolvida e comercializada pela Siemens e Echogen, utiliza o CO2 em estado supercrítico, no qual o fluido apresenta propriedades físicas entre os estados liquido e gasoso (acima do ponto crítico), para gerar energia elétrica em combinação com a turbina a gás, seja para aplicação onshore ou campos de petróleo offshore. Além disso, a tecnologia pode operar em locais com escassez de água, já que não usa o vapor para o seu funcionamento.

“A Siemens está trazendo para o mercado, uma solução tecnológica compacta e econômica para o fechamento de ciclo na geração de energia. Este sistema ocupa uma área menor se comparado com ciclos de vapor comum, podendo ser uma excelente alternativa para plataformas de petróleo offshore que enfrentam os desafios de limitação de potência, espaço e peso”, explica José Tércio, gerente de vendas de Oil & Gas da Siemens no Brasil.

Neste primeiro momento, o objetivo é gerar 7,5 MW – energia capaz de alimentar 7.200 casas, porém como esta tecnologia é expansível, podemos esperar um acréscimo significativo na capacidade de geração de energia elétrica com CO2 supercrítico nos próximos anos.

“A Petrobras é reconhecida mundialmente pelo desenvolvimento de soluções inovadoras para os seus diversos processos. Com esta visão, a empresa está iniciando um projeto em parceria com a Siemens para o aumento da eficiência energética em sistemas de geração elétrica por meio da utilização de uma solução inédita mundialmente. A intenção é utilizar o fluido CO2 no estado supercrítico – estado que apresenta características de líquido e de gás – em uma turbina desenvolvida especificamente para este fluido em uma termoelétrica da Petrobras. Além do aumento da eficiência energética, ou seja, gerar mais energia sem aumentar o consumo de combustível, espera-se também a redução de custos uma vez que os equipamentos desta planta são mais compactos”, diz Newton Moura, consultor da Petrobras.

Um ensaio inicial foi feito nos Estados Unidos, em escalas menores, e os resultados animaram os engenheiros e pesquisadores da Siemens, que agora trabalham em conjunto com a Petrobras nessa inovação.

A Siemens Gas and Power (GP) é referência global em energia, ajudando os clientes a atender às crescentes demandas das indústrias e sociedades atuais. A Siemens GP possui amplas capacidades em toda a cadeia de valor de energia e oferece um portfólio abrangente a concessionárias, produtores independentes de energia, operadoras de sistemas de transmissão e para todo o setor e petróleo e gás. Seus produtos, soluções e serviços envolvem a extração, o processamento e o transporte de petróleo e gás, além da geração de energia em usinas térmicas centrais e distribuídas e transmissão de energia nas redes.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório