Gestão

Networker cria soluções de gestão de pessoas com IBM Watson

Gerenciar recursos humanos é um grande desafio para qualquer empresa, independentemente do seu porte

O ambiente de trabalho na maioria dos lugares é muito heterogêneo, ou seja, as empresas possuem funcionários de todas as faixas etárias e condições sociais. Com isso, manter a motivação da equipe, capacitar e engajar colaboradores, bem como identificar e reter talentos não são tarefas das mais simples. Diante deste cenário, a Networker, companhia nacional fundada em 2000 observou uma oportunidade de facilitar tais processos por meio do poder do IBM Watson.

O IBM Watson é uma das grandes inovações dos últimos tempos no que tange a computação cognitiva. Ele foi criado para auxiliar profissionais, desenvolvedores, startups e empresas a construírem sistemas cognitivos que possam melhorar processos, interações e ações. A Networker, por meio da expertise de sua equipe, conseguiu utilizar esta poderosa plataforma para solucionar estas demandas que a gestão de pessoas sempre apresentou.

Por conta de nosso viés inovador, decidimos abrir nossa operação em Portugal, país que está se propondo a ser o vale do silício da Europa

Com um discurso voltado eminentemente para as áreas de negócios, a companhia nacional oferece soluções voltadas para a gestão de talentos, aumento de produtividade e peformance, dentre as quais: Candidate Assistance, Employee Experience, People Analytics, Cognitive Collaboration, Knolwedge Management e Digital Workers. “Nosso foco é ter a tecnologia como suporte para entregar soluções de acordo com a necessidade do cliente”, afirma André Ceciliano, um dos fundadores e diretor de operações da Networker.

Já pensando em 2019, o principal desafio que a Networker enfrentará será o processo de internacionalização. “Conversando com nossos parceiros tecnológicos, identificamos que essa abordagem pelo viés do aprimoramento da gestão de pessoas não estava sendo bem explorado em outros países. Por conta de nosso viés inovador, decidimos abrir nossa operação em Portugal, país que está se propondo a ser o vale do silício da Europa, e atender o mercado comum europeu. Nossas tratativas já estão bastante avançadas e devemos estar com esse escritório operacional no início do próximo ano”, adianta o executivo.

Sobre o Watson ele explica que, por meio de um conjunto de dados, estruturados ou não, um dos seus usos é auxiliar no diagnóstico dos principais desafios do gestor de pessoas, dentre os quais treinamento, turnover, produtividade etc. ”Com o uso do Watson, reduzimos a dependência de um cientista de dados ou um especialista em estatísticas, pois a própria plataforma disponibiliza um conjunto de modelos estatísticos que apresentam, de forma automática e em tempo real, uma série de correlações entre os dados analisados. Com isso, nossos consultores elaboram um plano de ações para o cliente. Essa é a nossa oferta de People Analytics”, explica.

“Nas ofertas Candidate Assistance e Employee Experience, com base na experiência de nossa equipe, desenvolvemos uma jornada que busca acompanhar toda a vida útil de um colaborador desde antes da entrada dele na empresa até após sua saída. Em cada uma dessas etapas, buscamos entender qual seria a contribuição do Watson para a obtenção de resultados mais eficazes e eficientes. Alguns exemplos disso são a identificação do “perfil campeão” nos quadros da empresa e monitoramento do mercado em busca de profissionais com essas características. No momento em que uma vaga surge, o gestor já tem mapeado quem são os melhores candidatos, podendo contratar melhor e mais rapidamente. Outra possibilidade é acompanhar a evolução do funcionário ao longo da carreira e sugerir ajustes em função de mudanças tanto do lado da empresa quanto do colaborador”, ressalta o diretor.

Trabalhadores Digitais

Uma outra oferta que vem chamando muito a atenção são os trabalhadores digitais (Digital Workers). Esta oferta é composta basicamente por Assistentes Virtuais (chatbots com inteligência artificial) e automação de processos via robos de software (RPA – Robotic Process Automation). Trabalhando em conjunto, ou de forma separada, essa oferta tem como objetivo principal, liberar os colaboradores das tarefas repetitivas e operacionais. “No momento em que os gestores percebem que a adoção dessas soluções aumenta a produtividade desses colaboradores em no mínimo 30%, a adoção é quase imediata. Já desenvolvemos diversos assistentes virtuais, que permitem uma conversa em linguagem natural com os funcionários e gestores, da mesma forma em que interagem com outras pessoas. Em relação aos robôs, é até engraçado, pois em um primeiro momento, os gestores acham que estramos falando de um exterminador de empregos e no final percebem que conseguirão fazer mais e melhor mesclando os trabalhadores reais com os trabalhadores virtuais”.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.

Assine a nossa Newsletter

e receba informações relevantes do mercado TIC

Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Captcha obrigatório