Mercado

Solinftec inaugura escritório nos Estados Unidos

Empresa exporta aos produtores americanos tecnologia de Internet das Coisas que já vem ajudando agroempreendedores brasileiros a melhorar produtividade e diminuir custos na lavoura

A Solinftec, empresa especializada em Agricultura Digital no Brasil que cresceu rapidamente na América Latina tornando lavouras de cana de açúcar e outras plantações mais eficientes, anunciou, durante a Agbioscience Innovation Summit, evento realizado pela AgriNovus Indiana, que irá abrir uma operação nos Estados Unidos na Purdue University, em Indianápolis.

A Solinftec construiu sua reputação criando plataformas de Internet das Coisas (IoT) para integrar pessoas, máquinas, clima e agronomia e digitalizar todos os aspectos das operações agrícolas

“Nosso time tem paixão por desenvolver soluções inovadoras que combinam ciência e engenharia para entregar soluções que gerem resultados mensuráveis aos produtores”, disse Daniel Padrão, COO da Solinftec. “É por isso que estamos entusiasmados com a oportunidade de trabalhar com uma renomada universidade de pesquisa como a Purdue e sua Faculdade de Agricultura para expandirmos nossas plataformas para novos mercados internacionais”, acrescenta.

A Solinftec construiu sua reputação criando plataformas de Internet das Coisas (IoT) para integrar pessoas, máquinas, clima e agronomia e digitalizar todos os aspectos das operações agrícolas. A empresa oferece tecnologia para monitorar todos os processos nas fazendas e fornece insights em tempo real que aumentam o retorno em cada hectare plantado.

A empresa desenvolveu a primeira assistente virtual da agricultura, a robô chamada “Alice”, que tem a missão de conversar com o produtor para ajudá-lo nas principais decisões do dia a dia. A Alice utiliza dados para solucionar perguntas difíceis que antes eram respondidas apenas através do instinto do produtor sobre a análise de um conjunto impreciso e incompleto de informações.

“Uma forte colaboração com a Purdue University é prova do crescimento e do sucesso da Solinftec e da pesquisa de ponta realizada na Purdue e em sua Faculdade de Agricultura”, assinala o Presidente da Purdue University, Mitch Daniels. “Essa colaboração beneficiará o avanço tecnológico da pesquisa agrícola e, mais importante, produzirá tecnologias e processos significativos para alimentar a crescente população mundial”, completa.

Indiana é um dos principais centros de agronegócio dos Estados Unidos. A agricultura contribui com cerca de US$ 31,2 bilhões para o Produto Interno Bruto do Estado por ano e gera cerca de 107,5 mil postos de trabalho apoiados pela produção agrícola em mais de 6 milhões de hectares de fazendas. Indiana também é um dos principais produtores de milho, soja e derivados do tomate, áreas nas quais a Solinftec planeja se expandir.

Padrão reforça que um fator determinante na mudança para Indiana foi estar perto da Purdue e sua Faculdade de Agricultura, classificada como a oitava melhor do mundo, e de seu Departamento de Engenharia Agrícola e Biológica, considerado o melhor nos Estados Unidos.

“O Meio-Oeste dos EUA é fundamental para nossa estratégia e reconhecemos sua importância no ecossistema global de alimentos e agricultura. Estamos empolgados em lançar nossa sede em Indiana. Agradecemos ao governo estadual, a Agrinovus, a Purdue University e a Tom Farms por sua visão em apoiar esta iniciativa e por sua hospitalidade”, diz Renato Hersz, diretor de estratégia e desenvolvimento corporativo da Solinftec.

As soluções da Solinftec suportam mais de 6 milhões de hectares de operações agrícolas, interagem em tempo real com 20 mil equipamentos online e prove insights para mais de 100 mil usuários diariamente. Entre as 10 maiores empresas do setor sucroalcooleiro, oito são clientes da empresa, e entre os cinco maiores produtores de grãos e fibras três também usam sua tecnologia.

A empresa atende grandes produtores internacionais, como a Raízen, que possui mais de 3 mil equipamentos monitorados, o maior sistema de telemetria do mundo. Entre outras empresas internacionais atendidas pela Solinftec estão Tereos, Cofco e British Petroleum, todas no ramo de cana de açúcar, além da Amaggi, Bom Futuro e Terra Santa, produtores de outras culturas.

A Solinftec está trabalhando em parcerias comerciais e tecnológicas relevantes com fabricantes de equipamentos originais e cooperativas que serão anunciadas em breve para atender o agricultor americano.

Como a universidade possui concessão de terras em Indiana, a Purdue tem escritórios em todos os 92 condados do Estado para auxiliar agricultores e produtores, além de conduzir pesquisas agrícolas de renome mundial que atendem os Estados Unidos e a sociedade global. Sua Faculdade de Agricultura também tem três ganhadores do Prêmio Mundial da Alimentação entre os seus professores e um distinto ex-aluno vencedor do Prêmio Mundial da Alimentação.

“Prevemos que a decisão da Solinftec de abrir seu escritório em Indiana irá gerar inúmeras oportunidades para produtores e pesquisadores”, afirma Beth Bechdol, presidente e CEO da AgriNovus Indiana, organização que promove o crescimento da agrobiociência em todo Meio-Oeste americano.

A colaboração com a Solinftec se alinha com os “Giant Leaps” de Purdue, que celebram avanços globais da universidade em saúde, espaço, inteligência artificial e sustentabilidade e integram as comemorações do 150º aniversário da universidade. Esses são os quatro temas que compõem o Ideas Festival realizado ao longo do ano para apresentar a Purdue como um centro intelectual que resolve problemas do mundo.

Tags

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.