Informe aqui

Setor financeiro: conectividade como parte da transformação

Por Felipe Stutz, Diretor de soluções para América Latina da Orange Business Services

Evolua ou desapareça! Muitas empresas em todo o mundo se encaixam neste contexto de Darwinismo corporativo. No entanto, não são os mais fortes que irão sobreviver, mas aqueles que entendem mais rapidamente que para alcançar seus objetivos devem fazer as coisas de um jeito diferente. Esse é o principal desafio da transformação digital no setor financeiro, mas não o único. Falando especificamente desse mercado, há outros pontos de atenção:

· A geração “Eu não quero ir ao banco”: as novas gerações buscam formas mais simples de fazer as coisas, geralmente utilizando a internet para isso. Nesse cenário, os bancos passaram a incorporar mais e melhores canais digitais e novos serviços. Mas a verdade é que neste setor várias gerações diferentes coexistem, e suas necessidades e demandas são distintas. Cada uma delas entende a qualidade do atendimento ao cliente de forma diferente. É por isso que encontrar uma maneira de agradar a todos está na mira do setor.

· Nascer tradicional e ter que se tornar digital: como resultado do surgimento das fintechs, o processo de transformação do banco tradicional foi acelerado. Definitivamente, nascer digital e tornar-se digital para acompanhar o mercado não são a mesma coisa. E, de fato, muitos bancos não querem se tornar totalmente digitais. Estas instituições estão procurando um meio termo entre os serviços tradicionais e os digitais.

· Transformar a agência: com filiais distribuídas por todo o país, outro desafio do setor é oferecer a mesma qualidade de serviço em todas as agências. Melhorar os tempos de resposta, criar um local onde os clientes se sintam mais confortáveis, mais bem atendidos e onde possam desfrutar de serviços adicionais.

· Estar preparado para o que está por vir: machine learning, inteligência artificial e IoT são tecnologias que farão parte do futuro do setor bancário. Mas, para estar pronto para incorporar essas tecnologias, é necessário começar a se preparar hoje. Não são mudanças que acontecerão de um dia para o outro, mas sim consequência de decisões de negócios pensadas e planejadas com muita antecipação.

Nesse contexto, os bancos têm a oportunidade de reinventar seus modelos de negócios de forma inovadora. E o papel da tecnologia nisso é fundamental para fornecer a agilidade, a segurança e a experiência de que precisam.

Creio que o futuro do setor bancário está na rede que irá utilizar. O setor financeiro precisa ter uma rede que esteja pronta para acompanhá-lo, que seja flexível, adaptável, que esteja sempre disponível e que ofereça uma integração simples com soluções de segurança e conectividade na nuvem. Uma possibilidade para facilitar essa transformação pode ser a utilização de SD-WAN, que permite criar redes WAN definidas por software combinando diferentes acessos à internet (MPLS, 3G / 4G, LTE e satélite), com menor custo, escalabilidade e alta disponibilidade.

Que benefícios isso gera?

Essa rede simplifica o gerenciamento da conectividade e o faz de maneira centralizada. A tecnologia permite ainda que a empresa forneça uma largura de banda maior a cada filial, garantindo que sempre exista um bom nível de conectividade para fornecer serviços adicionais aos clientes, como usar videoconferências em HD para treinamento ou consultas com especialistas em outros locais, sem afetar o funcionamento do banco. Também permite abrir novas agências em menos tempo, de meses a semanas, já que facilita a entrega de conectividade à filial.

A segurança é um aspecto vital neste setor, e com o uso de SD-WAN, é possível administrar todas as políticas de segurança de forma centralizada e incorporar tecnologias adicionais para a proteção de dados.

Por fim, como a incorporação de transações online aumenta a demanda por capacidade da rede para suportar o crescimento do tráfego, e o SD-WAN possibilita adicionar conexões, mantendo o controle de custos.

Definitivamente, contemplar a rede é vital para os desafios do setor financeiro, especialmente quando as instituições financeiras planejam se preparar para o futuro, agregando valor ao seu negócio. Ser capaz de gerenciar a rede e o tráfego de maneira otimizada, garantindo a disponibilidade para suportar mudanças e decisões de negócios, torna-se mais importante a cada dia e é um aspecto que os gerentes de TI não podem ignorar.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.