Informe aqui

O uso do BIM nas obras: integração com IoT, Robótica e Realidade Virtual

Quando avaliamos a adoção do conceito de BIM (Building Information Modeling), ou Modelagem das Informações de Construção, percebemos que existem diversas iniciativas na área de projeto, porém poucas evoluíram para a obra. Se a dúvida é como será implantar processos de BIM em contratos de gerenciamento de obra ou quais serão as dificuldades e barreiras, assim como as novidades, podemos dizer que os ganhos serão muito significativos e fáceis de apurar, pois é na obra que está o grande volume de dinheiro e é onde ocorrem os problemas e atrasos.
A primeira aplicação que se tem em mente ao pensar no gerenciamento usando o BIM é o 4D, ou seja, o acompanhamento do modelo tridimensional associado ao cronograma. Em outras palavras, o tempo como a quarta dimensão. Para a montagem no 4D, é necessário ter os modelos das diversas disciplinas plenamente compatibilizados, ou seja, modelos com todas as interferências e conflitos já sanados, pois não faz sentido associar um planejamento a um modelo com problemas.
Em um processo tradicional não há esta capacidade de detecção de interferências de forma tão simples e rápida, assim é comum ter alguns aspectos que passam desapercebidos. O gerenciador fará seu planejamento e elas serão notadas na obra. No processo BIM, elas iam aparecer.
Este ponto, necessariamente, leva à antecipação de discussões que fatalmente iriam acontecer ao longo do gerenciamento para seu início. A fase inicial do gerenciamento ganha um protagonismo e uma capacidade de agregar muito valor ao serviço, revisando o modelo, eliminando problemas e reduzindo riscos. A equipe e o esforço a ser considerado nesta fase deve ser incrementado, agregando além do conhecimento em planejamento e aportando know-how construtivo e de produto.
No decorrer do contrato, há possibilidade de aplicação de uma série de novas tecnologias que automatizam o processo, eliminam trabalho e geram informações para aplicação no processo BIM. Algumas delas são:
• IoT – Podemos destacar o uso de beacons para o controle do fluxo de funcionários na obra, monitorando o trânsito em áreas de risco ou, até mesmo, associando este fluxo com os treinamentos de segurança realizados, ficando registrado no modelo quem e quando acessou qual área;
• Digitalização – Para geração de as build, ou registro do avanço de obra, é de grande valia a nuvem de pontos gerada por escâneres à laser. Estas nuvens podem ser comparadas com o projeto para indicar problemas ou validar montagens. A nuvem também pode ser utilizada para checar processos construtivos, como planicidade de fachada, flambagem de pilar ou nível de piso.
• Robótica – A utilização de estações robóticas entram no lugar da tradicional topografia. Com elas, os dados de campo são registrados no modelo de forma automática. São equipamentos que trabalham sozinhos ou apenas com um operador e que buscam e gravam dados diretamente no modelo BIM.
• Realidade Virtual – Tem o objetivo de auxiliar a compreensão do modelo. Sua aplicação é ideal para obras e projetos complexos. No gerenciamento, a aplicação está na associação do modelo ao cronograma para pleno entendimento dos cenários e avanço da obra. Ideal para salas de situação e gerenciamento de obras em locais remotos.
A entrega do trabalho de gerenciamento também deve ser alterada. A produção de documentos deve perder a importância. Dados do gerenciamento inseridos dentro do modelo vão ser muito mais úteis que documentos. Relatórios vão ser menores e ficar restritos às análises do gerenciamento e não mais conter dados e mais dados, como os relatórios atuais. Para o cliente final, que vai utilizar o modelo BIM para a fase de operação, não interessa as informações em forma de texto dentro de documentos, mas sim tê-las em base de dados estruturada e associada ao modelo BIM.

*Marcus Granadeiro é engenheiro civil formado pela Escola Politécnica da USP, presidente do Construtivo, empresa de tecnologia com DNA de engenharia e membro da ADN (Autodesk Development Network) e do RICS (Royal Institution of Chartered Surveyours).
Sobre o Construtivo.com
O Construtivo é uma empresa de tecnologia com DNA de engenharia. Pioneira no conceito de nuvem, desde 1999 atende os maiores projetos de infraestrutura do Brasil.
Fundado em 1999 como uma joint venture do Grupo Santander, o Construtivo passou por um processo de MBO (Management buy-out) em 2004 e se tornou uma empresa nacional.
Com sede em São Paulo e filial em Porto Alegre, o Construtivo tem como carro chefe a solução Colaborativo, ofertada na modalidade de serviço (SaaS) e atendendo mais de 25 mil usuários com rede de plena redundância e com padrões de segurança internacionais a partir de seus servidores em Data Center Nacional padrão Tier III.

As soluções do Construtivo não se limitam apenas àquelas que compõem o Colaborativo. Elas englobam o serviço e o conhecimento de sua equipe como parte do processo. Aproveitando o know-how de mais de 20 anos de sua equipe em CAD e o pioneirismo em BIM, o Construtivo estabeleceu um núcleo de serviços de CAD / BIM.

Com cerca de 100 clientes ativos, entre eles UHE Belo Monte, CSN, Systra Vetec, CEEE, Voith, EBEI, Exto, CTG Brasil, Mobissom, LPC Latina, Rodobens, State Grid, JHE, PK, Voith, Rumo e Energia Consult, o Construtivo.com se tornou uma das principais empresas voltadas para o gerenciamento de processos com especialização em engenharia civil do país, atendendo áreas como energia, transporte, administração pública, manutenção, entre outras.
Informações: http://www.construtivo.com/

Informações para imprensa:

IMAGE Comunicação
Fone: 11 5072-9960

Dani Portela (MTB 30377)
daniportela@imagecomunicacao.com.br
Celular: 11 9 8162-9833

Renata Negri (MTB 57355)
renata.negri@imagecomunicacao.com.br
Celular: 11 9 6227-7819

Raíssa Ociscki – (MTB 82597)
raissa.ociscki@imagecomunicacao.com.br
Celular: 11 9 9382-0907

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.