Informe aqui

Cinco benefícios da análise do comportamento de clientes por meio da ativação do sinal de Wi-Fi

Quanto tempo o cliente fica na loja? Qual área do local atrai mais sua atenção? Em que momento ele desiste da compra e sai do estabelecimento? Ter as respostas a essas perguntas sobre o comportamento do consumidor dentro da loja pode ajudar o varejista a otimizar suas vendas e aumentar os lucros. E já existem tecnologias especializadas nesse levantamento que podem ser instaladas de forma simples e rápida.

Segundo a ShopperTrak, líder global de inteligência de tráfego de clientes no varejo, com essas informações, o lojista não só tem controle sobre o que acontece, como pode modificar suas rotinas, procedimentos e atividades. Essa é a proposta da solução Análise de Interiores, desenvolvida pela empresa, e que realiza o mapeamento interno de clientes em uma loja a partir da ativação do sinal de Wi-Fi de seus aparelhos celulares.

“Esse tipo de ferramenta detalha a movimentação dos consumidores ao nível de cada pequena área da loja, indica o tempo de permanência e até quantas vezes voltam ao estabelecimento”, explica Marcelo Quaiatti, diretor da ShopperTrak no Brasil. Os benefícios da análise de comportamento de clientes via sinal de Wi-Fi incluem:

Tráfego: determina se o varejista está atraindo uma participação apropriada do tráfego de pessoas que passam na frente do estabelecimento;
Comportamento: indica como os consumidores se movimentam pela loja, onde eles passam mais tempo durante aquele período e em quais áreas realizam compras;
Compras: identifica onde e quando o cliente desiste de adquirir algum produto e ajuda a reduzir o número de consumidores que saem da loja sem comprar;
Conversão: incentiva os vendedores a abordar os clientes em locais chave do estabelecimento para aumentar a taxa de conversão e o tamanho da transação;
Ações: diferencia a movimentação dos vendedores com a dos clientes para garantir que o varejista está direcionando as ações corretas para aumentar a receita da loja.

“Com esses dados, o varejista poderá programar melhor suas operações, fazer o planejamento de marketing, organizar a disposição da loja, planejar as ofertas de produtos, definir a quantidade correta de pessoal e os horários ideais para aumentar o número de clientes que compram – e estimulá-los a gastar mais”, finaliza Quaiatti.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.