Gestão

Tarefas administrativas chegam a custar mais de R$ 900 bi por ano

Pesquisa da Sage tangibiliza em valores o impacto às pequenas e médias empresas

O Brasil perde R$ 6,2 bilhões em produtividade com atividades burocráticas mensalmente. Segundo cálculos da Sage, multinacional britânica de softwares de gestão, o custo atual total entre Pequenas e Médias Empresas no mundo corresponde a mais de R$ 900 bilhões até a primeira quinzena de agosto.

Pequenas empresas gastam em torno de 120 dias úteis por ano em atividades administrativas, o que equivale a 10 dias úteis de um funcionário por mês

O valor foi levantado a partir da pesquisa intitulada ‘O impacto da burocracia’ realizada com mais de 3 mil empresas em 11 mercados, incluindo Reino Unido, EUA, África do Sul, França, Irlanda, Austrália, Espanha, Canadá, Cingapura e Alemanha.

Desde 1º de janeiro de 2018, a Sage calcula o tempo perdido pelas empresas com tarefas administrativas, a fim de determinar os custos que as empresas suportam devido à perda de produtividade. Só no Brasil, o tempo gasto com atividades burocráticas chega a custar mais de R$79 bilhões por ano às pequenas empresas.

De acordo com o estudo, as pequenas empresas gastam em torno de 120 dias úteis por ano em atividades administrativas, o que equivale a 10 dias úteis de um funcionário por mês.

O dia mundial do empreendedor é um ótimo momento para reconhecer os empresários do nosso país, que continuam a mover a nossa economia. Nossos dados destacam que as empresas serão mais produtivas se puderem redirecionar algumas daquelas horas gastas em tarefas administrativas básicas, aplicando esse tempo para inovar, atrair clientes e aumentar a receita. Dessa forma, podemos fazer um progresso real.

Relatórios de despesas, faturamento, folha de pagamento e busca constante por pagamentos atrasados não são atividades que devem dominar o tempo de nossos empreendedores em 2018, afirma Alexandre Wyllie, diretor do segmento PME da Sage Brasil.

“As economias futuras dependem do sucesso de nossos negócios hoje. Ao lançar luz sobre esta questão e desnudar os fatos, esperamos que o governo seja encorajado a olhar atentamente para as questões de produtividade que os seus empresários enfrentam e abordar onde as legislações arcaicas podem estar  dificultando o progresso”, conclui o empresário.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.