Informe aqui

Projeto Sumaré: Conheça os desafios do maior site do repacking brasileiro

São Paulo, 27 de julho, 2018 – A RFS – Radio Frequency Systems e a EAD – Entidade Administradora da Digitalização de Canais TV e RTV, trabalham atualmente na torre Sumaré (SP), o maior e mais desafiador projeto do programa de repacking do país.

São quatro radiodifusores transmitindo canais de televisão de alta potência (15 mil watts cada) que foram remanejados, o que permitiu a liberação da faixa de 700MHz para as operadoras de telefonia móvel na região metropolitana de São Paulo. Um dos principais desafios do processo era realizar o remanejamento dos sistemas sem afetar a transmissão dos canais de televisão durante sua programação diária normal.

Localizada na área central de São Paulo, a torre Sumaré enfrenta desafios como a grande circulação de pessoas na região e dificuldade logística para armazenagem e manuseio de materiais pesados. “Para uma bobina de cabo de quatro metros de altura e três toneladas chegar ao local, por exemplo, foi necessário um alinhamento com as autoridades locais e equipes de implantação, além do suporte de operadoras de telefonia e energia, uma vez que há cabeamentos públicos no trajeto e a necessidade de uma operação especial para circulação”, afirma Renato França, Diretor de Vendas e Serviços da RFS.

A fim de agilizar a liberação do espectro de radiofrequência de 700MHz em São Paulo para o início das operações do LTE700, foi implantado um sistema temporário que permitiu aos radiodifusores utilizarem uma antena reserva até que a nova fosse instalada. Além disso, um combinador de canais dentro da sala técnica garantiu a flexibilidade necessária para essa etapa de transição, que foi concluída com êxito no final de maio, um mês antes do previsto.

Em agosto, o projeto está concluindo sua fase mais complexa, que envolveu a desinstalação da infraestrutura antiga, incluindo uma antena de 14 toneladas e 30 metros de altura instalada no topo da torre de 150 metros, além do preparo para receber os sistemas definitivos. Foi necessário construir uma estrutura de apoio ao redor da torre para garantir a segurança da operação, além de um cálculo estrutural para evidenciar que ela não seria danificada e suportaria todos os esforços sobre si.

Mais de 50 pessoas da RFS atuam no projeto Sumaré, entre diretos e contratados, além da equipe de Engenharia da EAD. “Cumprir o cronograma acordado e garantir a segurança de todos são nossas prioridades. Para isso, uma equipe de segurança do trabalho foi diretamente envolvida nas atividades“, completa Renato.

A RFS, além da fabricação, realizou a gestão do processo de logística nacional e internacional, cálculo estrutural da torre, desinstalação dos sistemas antigos, instalação, remanejamento e testes dos novos sistemas, e gestão ambiental, que inclui o descarte correto do que é retirado do local.

O projeto Sumaré considerava originalmente um prazo de 12 a 13 meses de implantação e foi consolidado em 8 meses. “Tudo isso foi possível devido a um cronograma preciso, com previsões adequadas para situações de contingência e comprometimento das equipes envolvidas”, afirma Gunnar Bedicks, diretor técnico da EAD.

Sobre a RFS

A RFS é uma empresa global de infraestrutura de comunicação wireless e broadcast. A empresa oferece ao mercado projetos inovadores e serviços customizados que abrangem comunicação móvel, microondas, cobertura indoor e broadcast. Também dispõe de completa linha de cabos especiais (Linha kmP), indicados para automação industrial e comercial, áudio e vídeo, sonorização profissional, sistemas de segurança e satélites, dentre outras aplicações.

No Brasil, onde está há 42 anos, a empresa possui uma de suas dez unidades fabris e que responde pela demanda de toda a América Latina. A empresa pertence ao grupo RFS, que conta com 32 subsidiárias em todo o mundo e tem, entre seus clientes, operadoras de telefonia móvel e fixa, OEMs, instaladores, integradores de sistemas, emissoras de rádio e tv, utilities (energia, governo, minas e outros), distribuidores e revendas. Acompanhe a RFS no Twitter @RFSworld

Sobre a EAD

A EAD – Entidade Administradora de Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais TV e RTV – é uma organização não-governamental e sem fins lucrativos responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para digital da televisão aberta no Brasil.

Criada por determinação da Anatel, tem como missão garantir que a população tenha acesso à TV Digital, oferecendo suporte didático, desenvolvendo campanhas de comunicação e mobilização social e distribuindo kits para TV digital para as famílias cadastradas em programas sociais do Governo Federal.

Também tem como objetivos aferir a adoção do sinal de TV digital, remanejar os canais nas frequências e garantir a convivência sem interferência dos sinais da TV e 4G após o desligamento do sinal de TV analógico. Esse processo teve início em abril de 2015 e tem previsão de finalização em 2018, de acordo com cronograma definido pela portaria 378 do antigo Ministério das Comunicações.

Informações para imprensa:

Pimenta Comunicação

Tatiana Cantoni | + 55 11 2858.9190 / 11 95210.2225 | taticantoni@pimenta.com

Pedro Carvalho| + 55 11 2858.9151 / 11 95210.2203|pedro@pimenta.com

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.