Informe aqui

Elipse E3 reduz os custos com matéria-prima na fábrica de rações da Castrolanda – Cooperativa Agroindustrial LTDA

Fundada em 1951, a Castrolanda – Cooperativa Agroindustrial LTDA atua no ramo agroindustrial e conta com cerca de 900 cooperados e 3000 colaboradores. Sediada na cidade de Castro (PR), apresenta unidades nos estados do Paraná, São Paulo e Rio Janeiro. Por possuir uma arquitetura distribuída cliente-servidor, ótimo custo-benefício e uma estrutura de desenvolvimento que facilita a implementação em sistemas de dosagem, a cooperativa decidiu utilizar o Elipse E3.

Desenvolvida pela Elipse Software, a solução permite que a Castrolanda monitore os processos e controle remotamente os equipamentos da sua fábrica de rações localizada em Castro. Para isto, a cooperativa contou com a ajuda da Nexxus Evolution Systems, empresa de tecnologia da informação que implementou a aplicação em 2014.

Com a solução da Elipse, é possível monitorar todos os processos realizados na fábrica. Na etapa do recebimento da matéria-prima para a fabricação das rações, o E3 permite acompanhar, via códigos numéricos, quais produtos foram entregues pelos caminhões aos silos da fábrica, assim como a quantidade em kg verificada em cada um deles, onde o nível de enchimento é representado pela cor amarela mais escura. A prioridade para utilização dos silos também é exibida pelo software, onde aqueles com o número 1 são os de maior prioridade.

Uma vez recebidos, os produtos estão disponíveis para a dosagem conforme fórmulas pré-configuradas e então passam por uma segunda etapa na qual são encaminhados até os moinhos e misturadores. Nesta fase, o E3 monitora a passagem dos produtos pelo pré-misturador, pulmão do moinho, moinho, pulmão superior do misturador, misturador e pulmão inferior do misturador. Após passar pelo misturador, o produto final (ração) ainda passa por uma terceira etapa na qual passa pelas prensas de peletização antes de chegar aos silos de expedição.

No canto esquerdo desta tela, o software permite supervisionar a dosagem dos óleos e gorduras antes de serem encaminhados até o misturador onde são mesclados aos produtos sólidos. Nesta etapa, o E3 permite visualizar os tempos real e total estipulado para a realização das misturas. As correntes elétricas dos moinhos responsáveis pela moagem dos produtos sólidos em grãos também são exibidas nesta tela.

Encerradas as misturas, o E3 permite monitorar a expedição da ração. Nesta etapa, o software informa quais os produtos e silos que estão sendo utilizados, as prioridades de uso de cada silo, as caixas dos caminhões nas quais as rações estão sendo depositadas e as pesagens em kg junto a cada caixa, tanto em tempo real quanto total. O E3 também permite visualizar o número de cada carregamento e as placas dos caminhões utilizados no transporte das rações para o mercado.

Por fim, o software da Elipse permite controlar elevadores, redlers (esteiras), bifurcadoras e exaustores da fábrica, assim como registrar eventos via relatórios e gráficos que servem de instrumento para análise em auditorias. Com ele, o usuário pode ainda registrar paradas, controlar a contaminação cruzada, o acesso de usuários e a qualidade da produção, rastrear as movimentações de matéria-prima e rações, além de fazer o agendamento da produção.

A chegada do E3 representou uma mudança positiva na configuração do sistema de supervisão e controle da fábrica, antes totalmente executado pelo Elipse SCADA. Hoje, o software da Elipse ficou mais voltado à supervisão dos processos, já que a parte ligada ao controle ficou mais restrita ao ES-FMS, sistema de automação também desenvolvido pela Nexxus. Esta mudança agregou melhorias à interface do E3 que passou a ser mais clara e intuitiva em comparação a como era antes, quando era responsável também pelo controle.

Confira abaixo outros benefícios proporcionados pela solução da Elipse nesta aplicação:

• Menor desperdício de matéria-prima;
• Não mistura de produtos em silos;
• Rastreabilidade do processo;
• Resolução rápida das paradas de processo;
• Diminuição de horas extras pelo maior controle da produção, diminuindo o
tempo total de cada batelada de ração;
• Menor reprocessamento por permitir que as dosagens sejam realizadas com
maior precisão;
• Menor contaminação entre os produtos;
• Aumento da produção;
• Integração com o sistema corporativo.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.