Mercado

Bancos priorizam adoção de tecnologias emergentes, revela pesquisa

Para 78% dos entrevistados a inteligência artificial com base em voz tem potencial para transformar o varejo bancário e 67% já está investindo na tecnologia

A velocidade de adoção da tecnologia impulsionará a próxima transformação bancária. Segundo aponta pesquisa da VMware realizada pela SourceMedia Research, mais de 50% dos bancos com US$ 100 bilhões ou mais em ativos esperam implementar, nos próximos cinco anos, aplicações móveis, APIs abertas, inteligência artificial (IA), realidade aumentada, autenticações biométricas e blockchain.

A questão para as instituições financeiras já não é mais o investimento em tecnologia, mas sim a agilidade com que conseguem fazer isso

Os bancos estão implementando na infraestrutura para digitalizar seus negócios prevendo investimentos em tecnologias emergentes – desde IoT até autenticações biométricas e blockchain – para deixar uma marca consideravelmente grande na indústria em até cinco anos.

Os resultados da pesquisa deixam claro que a questão para as instituições financeiras já não é mais o investimento em tecnologia, mas sim a agilidade com que conseguem fazer isso. Quando convidados a descrever a missão dos bancos em que atuam, em um horizonte de três a cinco anos, disseram que os principais focos de negócios são: “integrar canais digitais e físicos” e “tornar-se um líder digital”, respectivamente.

Segundo a pesquisa, 78% dos entrevistados afirmam que a inteligência artificial baseada em voz tem potencial para transformar o varejo bancário. Além disso, cerca de um terço diz que a tecnologia tem potencial para transformar os bancos comerciais. Além disso, 67% dos entrevistados com US$100 bilhões ou mais em ativos está implementando blockchain.

Integração de novas tecnologias dentro de plataformas existentes e modernização de sistemas legados estão entre os principais desafios de implementação dos bancos. Na verdade, 46% dos entrevistados afirmam que as infraestruturas antigas têm algum impacto na capacidade de suas instituições lançarem novos produtos. Além disso, cerca de metade diz que suas instituições estão, atualmente, envolvidas na modernização dos seus data centers (52%) e em projetos de computação em nuvem (48 %) para resolver essa questão.

Cloud

O levantamento da VMware revela ainda o impacto da modernização dos data centers e adoção de computação na nuvem. O estudo apontou que 81% dos participantes de bancos que possuem US$100 bilhões ou mais em ativos e 68% dos entrevistados de bancos que possuem de US$15 bilhões a US$100 bilhões em ativos estão implementando tecnologias de computação em nuvem.

Entre bancos que estão considerando, pilotando ou implementando melhorias na segurança, programas de modernização de data centers, instalações de computação em nuvem e inovações tecnológicas do setor financeiro, pelo menos 73% espera que essas iniciativas tenham impacto moderado a alto nos próximos 12 meses e 82% espera que essas iniciativas tenham impacto de moderado a alto em cinco anos.

“A agilidade que conseguimos ao alavancar as soluções em nuvem, construídas com a plataforma de data center definido por software da VMware, ajudou nossa equipe de TI, em vez de se tornar um obstáculo para o negócio”. Com a base de nuvem funcionando, estamos analisando como poderemos instalar tecnologias emergentes – como blockchain – a fim de gerar um maior valor comercial, incluindo melhorias de segurança e eficiência,” explica Piergiorgio Spagnolatti, diretor de infraestrutura do Banca Popolare di Sondrio.

Para Michael DiPetrillo, diretor sênior de blockchain da VMware, está claro que o blockchain tem potencial para alavancar muitas indústrias, incluindo todas as facetas do setor financeiro. “Nossa equipe de pesquisa e desenvolvimento tem trabalhado no avanço da tecnologia de blockchain para resolver alguns dos problemas atuais em torno da velocidade, escalabilidade da tolerância a falhas e segurança. O trabalho realizado nos últimos três anos produziu um ambiente completo de blockchain, com muitos avanços da indústria em relação à consenso, livro fiscal e contratos inteligentes. Desvendar essa prova de conceito inicial é um enorme passo rumo à nossa jornada de blockchain e estamos ansiosos para compartilhá-lo com nossos clientes. E vamos continuar trabalhando com eles e os nossos parceiros de todas as indústrias para entregar soluções que os ajudarão a endereçar o que precisam hoje e no futuro”.