Informe aqui

Tribunal Regional Federal da 4ª Região agiliza gestão de processos com apoio de BI

O G4 — Sistema de Gestão da 4ª Região, criado a partir da plataforma analítica da MicroStrategy, contribui nas atividades de julgamento dos processos em andamento, aumentando a celeridade e tornando a prestação jurisdicional mais efetiva para o cidadão

Para trazer mais eficiência à Justiça Federal e disponibilizar de maneira mais rápida e convidativa as informações relacionadas aos processos em andamento, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), com sede em Porto Alegre, apostou em um sistema de gestão baseado em inteligência analítica. Desenvolvido a partir da plataforma de business intelligence da MicroStrategy, o G4 – Sistema de Gestão da 4ª Região – integra todos os sistemas informatizados, institucionais e departamentais da instituição, proporcionando um maior imediatismo no acesso às demandas mais urgentes e relevantes. Sua utilização trouxe incremento de produtividade e maior agilidade na gestão do acervo processual da região.

O TRF4 como órgão do Poder Judiciário Federal tem como finalidade prestar a tutela jurisdicional, em grau de recurso, a causas decididas pelos Juízes Federais da Região Sul do país. O TRF4 jurisdiciona os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Também, em grau de recurso, os processos decididos pelos juízes estaduais na competência delegada (previdenciária e execução fiscal). Há no todo, nos três estados de sua jurisdição, 220 unidades jurisdicionais, sendo 197 varas federais e 23 Unidades de Atendimento Avançado (UAAs). Compõem ainda sua estrutura 27 gabinetes de desembargadores federais, seis diretorias e mais de 100 gestores que atuam nas unidades judiciais e administrativas. São 412 magistrados federais, 5.817 servidores e 1.437 estagiários.

De acordo com José Carlos Bonato, assessor de Planejamento e Gestão do TRF4, embora antes do BI tudo estivesse disponível fisicamente, os dados não eram facilmente acessíveis, encontrando-se dispersos em diversos sistemas. Ligações lógicas entre os processos não eram evidentes e dependiam, quase sempre, de muita análise para cada tipo de decisão a tomar. Atualmente, as informações relevantes para as unidades judiciárias, destacadas pela urgência e importância, estão disponíveis em uma só plataforma, de maneira simples, altamente visual e interativa, subsidiando as tomadas de decisão nos mais diversos ângulos.

O sistema de gestão G4 permite visualizar dados sobre a movimentação processual do acervo dos gabinetes de desembargadores e varas federais; acompanhar informações atualizadas a respeito da quantificação dos processos que estão sendo distribuídos para os gabinetes e o que está realmente sendo produzido por cada um deles; o número de antecipações de tutelas requeridas; mandados de segurança expedidos; pedidos de habeas corpus em andamento; processos que devem ser considerados prioritários; traçar metas; controlar fluxo de trabalho; projetar resultados, entre outras informações. Os relatórios, análises e painéis são atualizados continuamente e de maneira automática.

“Reduzimos com o G4 e com o apoio do BI consideravelmente o tempo de resposta às solicitações de cada unidade, comparando com o desempenho entre aquelas que trabalham com a mesma matéria. Desta forma, é possível identificar, por exemplo, as situações pontuais que poderiam dificultar a tramitação dos processos. O que com certeza agiliza o trabalho e impacta diretamente no ritmo do julgamento e na prestação jurisdicional, aumentando a celeridade e tornando-a mais efetiva para o cidadão”, explica.

O projeto está em execução desde junho de 2015. Hoje, ao todo 773 gestores, sendo 385 juízes federais, 385 diretores de Secretaria e três Diretores de Foro podem acessar via web, inclusive em dispositivos móveis, uma série de painéis, incluindo os direcionados a áreas específicas como Presidência, Vice-Presidência, Corregedoria, Coordenadoria dos Juizados Especiais Federais, Gabinetes e Varas.

Os painéis estratégicos, contudo, são de uso geral. Nisso destaca-se o painel de gestão estratégica e acompanhamento das Metas Nacionais e das Específicas da Justiça Federal, tanto por Região, por Seção Judiciária (estados), por Subseção (grupo de cidades) e por unidade judiciária (Gabinetes de Desembargadores, Turmas Recursais e Varas).

Além disso, a área de RH também já tem acesso a algumas funcionalidades de Data Discovery da solução da MicroStrategy por meio de planilhas e do Visual Insight. No entanto, tanto para esse departamento, como para o setor Administrativo e Financeiro, novas entregas estão programadas. O objetivo é ampliar a sua utilização em todos os processos da instituição, contemplando tanto a área judiciária como administrativa.

“O G4 é uma ferramenta de gestão dinâmica e por isso deve ser continuamente atualizada a fim de atender às necessidades de informação que surgem com as novas exigências dos órgãos superiores, decorrendo também da evolução dos fatos e suas variáveis. Necessitamos, constantemente, ampliar e difundir o seu uso como instrumento de gestão nas áreas finalísticas e de apoio, possibilitando aos gestores informações confiáveis e atualizadas e maior poder de análise para a tomada de decisão e acompanhamento de seus feitos, assim como melhorar e proporcionar nossa capacidade de predição de novas demandas e tendências.