Tecnologia

Laboratório prepara executivos para o mercado do futuro

Batizado de TREE Lab, iniciativa da Fundação Dom Cabral, IBM e MRV tem como foco a preparação de profissionais para os novos modelos de negócios com o uso de inteligência artificial, blockchain e IoT

A Fundação Dom Cabral apresenta o primeiro laboratório do Brasil a adotar uma jornada de experiência educacional que dará acesso aos executivos e líderes empresariais às soluções tecnológicas e às atividades de experimentação que possam transformá-los em agentes mais ativos, imaginativos e produtivos. O TREE Lab, localizado no Campus Aloysio Faria, sede da FDC em Minas Gerais, é um ambiente de criação e inovação projetado em parceria com a IBM e MRV.

O ambiente integra os planos de inovação da instituição, possibilitando a conexão entre a alta tecnologia e o processo de aprendizagem ‘artesanal’, interligando o analógico e o digital

A iniciativa surge das pesquisas da escola de negócios sobre o futuro da educação e os desafios do mundo corporativo. Segundo as informações obtidas em diferentes segmentos do mercado, para lidar com o ambiente volátil e desafiador contemporâneo e construir as competências das lideranças do futuro, as soluções educacionais têm de ser múltiplas, colaborativas e interconectadas. Além disso, precisam desenvolver inteligências que cultivem a curiosidade e inovação.

“A FDC acredita que a educação é a única saída sustentável para termos cidadãos mais conscientes, líderes e organizações mais responsáveis e um ambiente de negócios mais próspero. O nosso laboratório vai possibilitar uma jornada de aprendizagem para favorecer a construção das habilidades e competências que poderão transformar o mundo”, explica o presidente executivo da FDC, Antonio Batista da Silva Junior.

O ambiente integra os planos de inovação da instituição, possibilitando a conexão entre a alta tecnologia e o processo de aprendizagem ‘artesanal’, interligando o analógico e o digital. Entre as tecnologias disponíveis no TREE Lab, está o Watson, plataforma de computação cognitiva da IBM para negócios.

Por meio de um assistente virtual que usará interação por vozcom a linguagem natural humana, os participantes da FDC poderão tirar dúvidas e ter informações sobre as atividades do espaço e temas estudados em seus cursos.  O Watson será treinado continuamente e trará constantes atualizações tecnológicas dos temas abordados pelos participantes nas aulas.

“A IBM entende que o líder do futuro deve ser um agente de transformação e a tecnologia é o meio que propicia essa inovação. Nessa parceria, apresentaremos as mais avançadas metodologias e tecnologias para preparar esses futuros líderes”, explica Luís Liguori, Chief Technology Officer da IBM Brasil.

Para isso, os participantes, além de interagirem com o assistente virtual, poderão ter acesso à plataforma de serviços na nuvem da IBM assim como IBM Client Centers e IBM ThinkLabs (centros de soluções por indústrias) localizados em diversos países. Poderão ver e experimentar soluções, assim como construir seus próprios protótipos.

“Apoiar iniciativas como o Tree Lab vem de encontro com a causa abraçada pela MRV de estimular o ecossistema inovador que existe em Minas Gerais. Queremos impulsionar um novo ambiente de negócios, com soluções mais disruptivas e que beneficiem a todos”, afirma Rafael Menin, CEO da empresa. A companhia, que é também apoiadora do Órbi, espaço colaborativo de fomento ao empreendedorismo que será lançado na capital mineira, irá possibilitar ainda que estudantes e empresas que passarem pelo TREE Lab se conectem ao mundo das startups por meio de um aplicativo.

Segunda fase

Em um segundo momento do projeto, o espaço permitirá a experiência com tecnologias de IoT, em que o laboratório identificará os participantes e suas jornadas, gerando interações e insights por meio do assistente virtual. Isto será possível através da integração da plataforma IBM Watson IoT com os sistemas de identificação física que são elaborados pelo parceiro comercial da IBM, a Sinergy.

O novo laboratório será o primeiro passo para ambientes totalmente conectados em que as experiências dos participantes poderão ser vividas por todo o Campus da FDC. Também será lançado o conceito de gamificação aos participantes, que receberão “pontos” por suas participações e interações em atividades no espaço. Essa experiência será baseada na plataforma de blockchain da IBM para seu gerenciamento.

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.