book_icon

83% das organizações percebem benefícios no trabalho remoto

Estudo global da Citrix e Oxford Economics aponta que 75% das organizações que estão adiantadas no processo de trabalho remoto avaliam uma melhora na eficiência de seus processos
83% das organizações percebem benefícios no trabalho remoto

No novo cenário que se configura com a aprovação da Reforma Trabalhista, as regras para o trabalho remoto se tornaram formais e mais claras, o que pode incentivar a adoção dessa modalidade, que traz benefícios tanto para a empresa quanto para o funcionário.

No Brasil, as questões relacionadas à tecnologia ainda são as maiores barreiras para a adoção desse tipo de trabalho

Segundo um estudo global conduzido pela Citrix e Oxford Economics, 75% das organizações que estão adiantadas no processo de trabalho remoto avaliam uma melhora na eficiência de seus processos e 74% perceberam uma maior satisfação dos funcionários. Dessas mesmas corporações, um percentual de 83% já percebe os benefícios dessa mudança e reportam maior crescimento na receita e nos lucros.

No Brasil, as questões relacionadas à tecnologia ainda são as maiores barreiras para a adoção desse tipo de trabalho. O custo da tecnologia aparece como primeiro indicador na avaliação dos pesquisados, com 53%, seguido pelas preocupações com segurança da informação (43%) e, em terceiro lugar, a falta de conhecimento de informática e treinamento por parte da equipe de colaboradores, com 37%.

Por outro lado, das organizações brasileiras que adotaram o trabalho remoto e participaram do estudo, 70% vê uma melhora na segurança da informação, 67% na lucratividade e o mesmo percentual para o aperfeiçoamento da experiência do cliente.  O chamado trabalho digital também está mostrando um melhor desempenho em outras áreas, tais como criatividade para solução de problemas e atendimento ao cliente.

Ao todo, foram ouvidos 600 executivos, entre C-levels e gestores com report direto para C-level.

Citrix

estudo global

Oxford Economics

trabalho remoto

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.