book_icon

Serviços digitais podem gerar economia de 97% aos cofres públicos

Um exemplo já adotado no Brasil é o novo modelo de serviço de transporte administrativo – o TáxiGov
Serviços digitais podem gerar economia de 97% aos cofres públicos

Estudos internacionais – realizados no Canadá, Reino Unido, Noruega e Austrália – demonstram que um atendimento presencial nos serviços públicos custa em média US$ 14. Quando o mesmo serviço é prestado de forma online, o custo baixa para US$ 0,39, o que representa uma economia de 97% aos cofres públicos. Os dados foram apresentados no X Congresso Consad de Gestão Pública.

“Estamos diante de um oceano de possibilidades para redução de custos administrativos”, frisou Carlos Santiso, chefe de divisão de Inovação para o Serviço ao Cidadão do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID)

Um exemplo já adotado no Brasil é o novo modelo de serviço de transporte administrativo – o TáxiGov. O serviço substitui carros próprios e locados por táxis para realizar o transporte de servidores e colaboradores em função de atividades administrativas. As corridas são solicitadas via aplicativo mobile e web, além de uma Central de Atendimento por telefone.

Desde o início da sua implantação, em fevereiro de 2017, já foi alcançada uma redução de 61,30% nas despesas em relação a contratos anteriores. Atualmente, servidores de dez órgãos públicos utilizam o serviço. Quando todos os ministérios aderirem ao modelo, a economia estimada será de R$ 20 milhões ao ano.

Serviços digitalizados

No governo federal, dados parciais do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP) apontam que 32% dos serviços são totalmente digitalizados, 39% parcialmente e 29% não estão disponíveis para acesso online (em nenhuma das etapas). “A tendência é que o processo de digitalização em dispositivos móveis se acelere. Os serviços precisam estar na palma da mão do cidadão”, explicou Gleisson Rubin, secretário de Gestão do MP.

Para Gleisson, o congresso é uma grande oportunidade para a reflexão sobre a necessidade da modernização “da porta para dentro” nas instituições públicas. Segundo o secretário, a redução de gastos e desburocratização ainda são os principais caminhos para uma gestão mais eficiente. “Queremos que o Estado seja menos lento, gaste menos e direcione seus recursos para o que realmente importa”, disse.

O secretário explicou que, para ampliar a oferta de serviços à sociedade, está em fase de implantação a Plataforma de Cidadania Digital, composta por cinco componentes: Portal de Serviços, com um canal único de oferta de serviços digitais; Autenticação Digital, com acesso a todos os serviços disponíveis com apenas um login e senha; Integração de bases de dados, solicitação e acompanhamento eletrônico de serviços públicos no Portal de Serviços; Avaliação de serviços; e o Painel de monitoramento, para acompanhar o desempenho dos serviços disponíveis no Portal de Serviços.

Além da perspectiva de redução de gastos, uma pesquisa realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (Cetic) aponta que a demanda por digitalização no país é crescente. De acordo com o estudo, já existem mais de 100 milhões de brasileiros que utilizam a internet e a principal via de conexão é por meio de celular.

*Com informações da Agência ABIPTI

BID

Governo

MP

Transformação Digital

Últimas Notícias
Você também pode gostar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.
Revista Digital

Agenda & Eventos

Cadastre seu Evento