book_icon

Frederico Bonincontro assume operações da Cellebrite na AL e Caribe

Além da expansão das vendas, executivo tocará a estratégia de novos cenários para contribuir com peritos criminais na investigação forense por meio de provas contidas em dispositivos móveis
Frederico Bonincontro assume operações da Cellebrite na AL e Caribe

A Cellebrite, empresa desenvolvedora de tecnologias para extração de conteúdo de dispositivos móveis para investigação forense, nomeia Frederico Bonincontro como diretor para América Latina e Caribe. A filial da Cellebrite para operações e negociações na região está estabelecida no Brasil, com escritórios em São Paulo, Brasília, México, Colômbia, Argentina, Chile e Peru, além de representações em outros países, incluindo o Caribe.

Executivo tem larga experiência em negócios com diversos Órgãos de Governo, Polícia, Ministério Público, Institutos de Criminalística, Órgãos de Defesa e Investigadores

Todos os escritórios e colaboradores estarão sob o comando de Bonincontro, que atuará diretamente no suporte a estratégia de vendas, negociações, revendas, distribuição, treinamentos e suporte aos clientes de acordo com a necessidade específica de cada mercado regional.

A Cellebrite detém a patente da tecnologia UFED (Universal Forensic Extration Device – Dispositivo Universal de Extração Forense), que permite a decodificação e extração judicial de conteúdo digital de dispositivos móveis (celulares, tablets ou GPS) armazenados no aparelho ou em nuvem privada de suspeitos ou vítimas de crimes por meio de hardware e software.  O sistema é usado em mais de 115 países por órgãos de polícia, setores de inteligência, advogados e agentes legais, entre eles a Polícia Federal brasileira, FBI e Interpol.

A tecnologia UFED permite que peritos e investigadores extraiam e analisem todo tipo de conteúdo digital em smartphones, tablets ou aparelhos de GPS de pessoas suspeitas ou vítimas. A informação estratégica é obtida mesmo que tais dados sejam bloqueados por senha ou criptografia, ou ainda que tenham sido apagados da memória do dispositivo pelo usuário. O sistema dispõe de recursos de software que permitem a produção de provas forenses com níveis de evidência e formalidade compatíveis com a legislação de praticamente todos os países, incluindo o Brasil, auxiliando o trabalho dos peritos criminais da elucidação de crimes.

Com larga experiência em negócios com diversos Órgãos de Governo, Polícia, Ministério Público, Institutos de Criminalística, Órgãos de Defesa e Investigadores, Bonincontro terá a missão de fortalecer as operações da Cellebrite na América Latina e Caribe com soluções inovadoras que contribuem para a sustentação da investigação forense e inteligência nas operações para conclusão de provas criminais e defesa nos tribunais.

“O uso cada vez maior de telefones celulares para realizar atividades criminosas em correlação com o grande número de usuários de mídias sociais em todo o mundo, é uma clara indicação de que os investigadores criminais devem estar equipados com a mais recente tecnologia para provas de atitudes ilícitas de forma rápida e com evidência e formalidade compatíveis com a legislação de cada País”, comenta Bonincontro.

Frederico Bonincontro atuou por três como diretor da divisão forense da Cellebrite para a América Latina antes de assumir o controle das operações. Possui 16 anos de experiência na indústria de tecnologia e telecomunicações, tendo atuado como gerente de vendas em empresas como Nortel, Motorola e ZTE, no atendimento a clientes do segmento de governo e operadoras móveis. É graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília e MBA em finanças no Instituto de Estudos Avançados Ibmec.

Cellebrite

tecnologia UFED

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.