book_icon

A integração da segurança física e da virtual

Gocil lança solução que integra dispositivos, tecnologia preditiva e gerenciamento remoto para segurança em uma única plataforma
A integração da segurança física e da virtual
César Leonel (centro), CEO da Gocil, apresenta o Integras

Quando falamos em segurança para o mercado de TI normalmente pensamos em crimes cibernéticos. Porém, existe todo um aparato já usado para monitoramento físico que contribui, e muito, para a estratégia de segurança. São câmeras de monitoramento, softwares, alarmes, sensores, chips e dispositivos de internet das coisas (IoT). No entanto, na maioria das vezes, esses dispositivos são de fabricantes diferentes e dificilmente se comunicam. Para sanar esse problema, a Gocil, empresa especializada em segurança privada, investiu R$ 20 milhões no desenvolvimento de uma plataforma capaz de integrar todos esses dispositivos e controlar tudo de uma única interface.

“Fizemos grandes investimentos em servidores para ter uma enorme capacidade de armazenamento e processamento e receber essas soluções, pois os processos não deixam de existir. Eles só passam a funcionar totalmente integrados”, César Leonel

Batizada de Integras, a solução é baseada na tecnologia PSIM (Physical Security Management) e tem como principal objetivo otimizar processos unindo tecnologia, serviços e infraestrutura. Foram investidos R$ 20 milhões para o desenvolvimento da plataforma e tecnologia prioritária. A expectativa com o lançamento é crescer 5% neste ano. Em 2016, a Gocil faturou R$ 1,2 bilhão.

Segundo a empresa, a solução oferece uma mudança de paradigma em estratégia de segurança física e digital ao passo em que alia inteligência de análise ao volume de informações coletadas. “A ênfase está na prevenção da ocorrência, de forma que a segurança seja ativa e não reativa, como normalmente ocorre”, afirma o CEO da empresa César Leonel. São 24 serviços de segurança correlacionados no Integras.

Segundo ele, 42% dos tomadores de decisão voltarão a atenção no futuro para a tecnologia que traz capacidade preditiva. Automação de segurança e segurança de IoT estão em segundo e terceiro lugar, com respectivamente 14% e 13%.

A plataforma pode ser controlada do CICC (Centro Integrado de Comando e Controle), localizado na Matriz da companhia, em São Paulo, que centraliza o comando das ações e a expertise da Gocil. No entanto, Leonel destaca que há modos disponíveis em nuvem, que permitem espelhamento no cliente. “O cliente portanto não precisa investir em hardware”, afirma o executivo. A conectividade é feita através da nuvem em uma abordagem híbrida, utilizando nuvem pública e privada da Microsoft.

Desenvolvido em parceria com a Ergos Group e a KapLogic Corporation, o sistema oferece pacotes de serviços personalizados, atendendo às necessidades de cada cliente em diferentes segmentos de atuação da Gocil, como hospitais, indústrias, centros logísticos, shopping centers, instituições de ensino, condomínios comerciais e residenciais, companhias de varejo, aviação, portos, usinas, arenas, entre outros.

Como funciona

O software coleta dados de múltiplos dispositivos e sistemas de segurança, a inteligência da plataforma analisa e correlaciona dados, eventos e alarmes, priorizando as situações, as informações relevantes são mostradas em uma interface amigável, para que o operador verifique as situações com eficiência, a plataforma fornece instruções passo a passo aos operadores, baseadas em procedimentos e políticas pré-estabelecidos, e o Integras monitora as informações e ações tomadas para reportá-las e analisá-las.

Analytics

Gocil

IA

Integras

segurança

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou qualquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.