Canal de Distribuição

ForeScout anuncia filial brasileira e programa de canais local

Empresa de segurança para IoT formulou um plano de expansão de canais e um programa de incentivo para aumentar capilaridade

 

A Internet das Coisas deve ter, até 2018, 30 bilhões de dispositivos conectados, segundo projeta o Gartner. Com base nessa previsão e com objetivo de expandir a sua capilaridade na região da América Latina, a ForeScout anuncia a sua operação local brasileira. Embora já atue em território nacional há três anos via parceiros, a empresa, que trabalha com soluções de segurança para IoT, pretende reforçar a sua presença via parceiros e formulou uma estratégia de canais para isso.

“A única meta que impomos aos parceiros é de ser responsável por pelo menos 20% do faturamento em até dois anos”, Nycholas Szucko 

Para liderar a estratégia, a ForeScout nomeou Nycholas Szucko como seu novo country manager para o Brasil e general manager do Sul da América Latina. O executivo, que comandará a região Sul da América Latina, abrangendo os países: Argentina, Peru, Chile, Bolívia, Paraguai e Uruguai, será responsável pelo desenvolvimento de novos negócios, canais e suportar a operação.  Na América do Sul, são 40 parceiros.

A operação brasileira passa a contar com a colaboração de 14 parceiros. Antes a empresa atuava com somente 4. Esse canal trabalhará no modelo dividido em três níveis (Silver, Gold e Platinum), conforme o programa da companhia, o ForeScout Forward Partner Program. A distribuidora, que também terá a responsabilidade de treinar os parceiros, será a Westcon.

Divulgação

“A única meta que impomos aos parceiros é de ser responsável por pelo menos 20% do faturamento em até dois anos”, explica Szucko, que reforça não estar na busca de mais canais. “Fizemos um processo cirúrgico de nomeação de parceiros. Se aumentarmos o número de canais, não conseguiremos dar a devida atenção a todos”, pontua.

Em momento de pré-IPO, a empresa não divulga expectativas de faturamento ou atuação da subsidiária brasileira. Szucko, no entanto, revela que a região da AL (especialmente o Brasil, México e Colômbia) tem grande potencial de novos negócios.

De acordo com Szucko, a ForeScout aposta nas verticais de serviços financeiros e governo, saúde, manufatura e varejo. Segundo ele, a adoção de medidas de Segurança da Informação está crescendo de forma gradual na região e, o foco em segurança para IoT da ForeScout, irá impulsionar projetos de proteção relacionados à automatização de setores como Varejo, Automobilístico, Indústria 4.0, abrindo inúmeras oportunidades de novos negócios para a companhia.

Programa de canais

O Forescout Forward Partner Program foi projetado para oferecer mais controle e previsibilidade sobre a margem de um parceiro, mais oportunidades de apoio às necessidades de segurança dos usuários finais com serviços profissionais, e uma integração mais estreita com soluções complementares. Veja abaixo os destaques do programa:

  • Margens de revenda para aumentar a rentabilidade dos canais.
  • Melhorias específicas de acordo com cada região, investimentos e requisitos de receita.
  • Insights de oportunidades do mercado e suporte para expandir os negócios.
  • Presença na web por meio do localizador de parceiro ForeScout.
  • Recompensas de incentivo ao registrar oportunidades.
  • Recursos financeiros por meio de um programa de propostas baseado em Estratégicas de Fundos de Marketing.
  • Vendas e capacitação técnica disponíveis no site ForeScout Partner Accelerator e programas de certificação técnica no ForeScoutAccess to Executive Briefing Centers.

Amazon Web Services

Durante a feira de segurança RSA, ocorrida em fevereiro na Califórnia (EUA), a ForeScout anunciou uma aliança global com a Amazon Web Services para reforçar sua oferta de proteção em nuvem, indo ao encontro de previsões de que a tecnologia de IoT precisará dos serviços de segurança em Nuvem para ganhar escala e conseguir entregar um nível aceitável de operações às empresas.

A solução permite que as equipes de TI e de segurança aprimorem a proteção de suas cargas de trabalho na nuvem, e tenham uma visão mais abrangente em relação às vulnerabilidades da rede em ambientes dentro e fora da nuvem.

“As empresas estão migrando para a nuvem, e os silos de segurança surgem à medida que equipes diferentes gerenciam implantações dentro e fora da nuvem. Isso pode dificultar a visibilidade e controle nas cargas de trabalho – o que deve se tornar ainda mais crítico, dada a proliferação de dispositivos conectados ao IP”, afirma Michael DeCesare, CEO da ForeScout. “A ForeScout fornece visibilidade às empresas em todo o ambiente de rede para garantir acesso universal, e eliminar a necessidade de uma abordagem fragmentada”. A ForeScout, segundo Szucko, está em fase de negociação para suportar Azure e outras plataformas.

Tags

Comentar

Clique aqui para comentar

As opiniões dos artigos/colunistas aqui publicados refletem exclusivamente a posição de seu autor, não caracterizando endosso, recomendação ou favorecimento por parte da Infor Channel ou quaisquer outros envolvidos na publicação. Todos os direitos reservados. É proibida qualquer forma de reutilização, distribuição, reprodução ou publicação parcial ou total deste conteúdo sem prévia autorização da Infor Channel.